Domingo, 27 de Julho de 2008

Momento de voar...

 

 

 

 

Disse sempre que poderemos partilhar vidas...

Essa mesma partilha, pode ser simplesmente...uma passagem...

Porque estive?
Porque pensavas que não sabias voar...
Porque o teu pensamento...
Tinha amarras que te prendiam ao solo... 
 
Que tentei fazer?
Tentei fazer com que conseguisses olhar para dentro de ti mesma...
Tentei que olhasses para a beleza que existe no teu interior… 
Tentei que olhasses o mundo...acreditando...
Tentei preparar-te para a vida...
Tentei fazer com que deixasses de te olhar como... "bicho de buraco”...
Tentei mostrar-te que podes amar de novo... 
Tentei ensinar-te de novo a sorrir...
Tentei que entendesses...que podes ser feliz...
 

Porque tudo isso tentei?

Tentei...porque acreditava que, juntos o conseguiríamos... 
  

Chegou o momento em que nossos caminhos, afastavam-se...

Cada um deveria seguir pelo seu...

 

Porque o deverias seguir?
Porque estavas pronta para voar...

Porque aquilo que tinha para te transmitir... 
Foi partilhado...e fazendo os devidos efeitos...
Porque, a partir de certo momento, terias de assimilar as aprendizagens...sozinha...

A vida…essa te mostraria o resto... 
 
Neste momento...
Já não existe a necessidade de te "prender"...

Sei que farás bom uso do que relembraste...
Conseguimos partilhar alguns ensinamentos...
Outros, teremos de os aprofundar um pouco mais...individualmente...
Faremos do que fomos absorvendo, patamares de ascensão interior...
Sinto que foi bom...
Consegui manter a minha postura de "ponte"...
Disse-te que não jogaria contigo...

Senti que tinha chegado o momento de tu voares...

A partir deste momento, se nos obrigássemos a estar...
Poderíamos passar a dizer coisas sem sentir...
Correríamos o risco de dizer o que realmente não queremos...
Simplesmente te ajudei a partir...
Porque senti que devias ficar livre...


 Não estou minimamente interessado em ter a razão...
Não é isso que me move...
Sei que irás voar para onde tiveres vontade de o fazer...
Seguirás por onde quiseres ir...
Farás o que te permitires fazer...
Viverás o que quiseres viver...
Só te quero ver bem...

Em paz contigo mesma... 
Isso é mesmo algo que gostaria...

Sonha o que queiras sonhar... 
Vai até onde te possam levar os sentires…
Vê bem por onde queres ir...
Se sentires ser o que realmente queres...

VIVE!!! 

Vive e fá-lo sempre com aquele sorriso...
Que aprendeste a gostar de o ter...
Aquele que querias que se tornasse...eterno...
Luta sempre pelo que realmente queres...

 

Agora vai...abre bem as tuas asas...e voa...


 Fiquem bem... 

 

"Fernão Capelo Gaivota" de Richard Bach - Música de Neil Daimond"
 


publicado por Agora às 21:41
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito

Amor...

 

 

 

Se não conseguirmos atingir o estado de presença, todo e qualquer tipo de relacionamento, principalmente aqueles que são mais íntimos, serão vividos como se algo lhes faltasse...originando muitas vezes, constantes roturas ou mesmo rotura permanente...

Durante uma primeira fase, eles parecem perfeitos...apaixonados, como parecendo ser...aquela pessoa...

 

A verdade...é que pode mesmo ser "aquela pessoa"...

Só que, essa perfeição, é destruída com o passar do tempo, porque não olhámos para a pessoa em causa...mas sim para a ilusão que criámos nessa mesma pessoa...

Qualquer discórdia coloca a nu a diferença que existe entre o que essa pessoa realmente é...e que nós não vimos...e a pessoa que criámos na nossa mente...

Neste fase, começam a aparecer os conflitos, as discussões, as agressões psíquicas e tantas vezes, as agressões físicas...

 

Nestas fases, o relacionamento atinge as suas maiores oscilações...

Ora se tem imenso prazer e se vivem momentos de completa ternura...ora se vivem momentos de enorme sofrimento...

Na verdade, o "amor"  mistura-se com o ódio...

 

Existem pessoas que vivem neste estado anos e até...vidas...

Acabam por se habituar a viver nesta constante mudança de ciclos...

 

Muitos deles, conseguem manter um certo equilíbrio neste drama de vida...

Esse mesmo drama...fá-los sentir vivos...

 

É neste tipo de relacionamentos que existe o sentimento de posse...e, como seu reflexo...o ciúme...

 

Quantas vezes ouvimos dizer...que ciúme é sinónimo de amor...
Não confundam Amor com o delírio da posse…

 

Contrariamente à opinião comum, o amor não faz sofrer…
O instinto de propriedade, que é o contrário do amor, esse sim...esse é que faz sofrer…
É o delírio da posse, que acarreta os piores sofrimentos…

 

O verdadeiro Amor que hoje vos falo, é aquele que existe...simplesmente... é aquele que não tem aspectos positivos...porque não tem os negativos...

 

É aquele sentimento que existe por si próprio...não dependendo de factor externos...nem tão pouco é, por eles alimentado...

Se dependesse, estaria a falar-vos, de relacionamentos românticos e não de Amor verdadeiro...

 

 

Sei perfeitamente que no mundo em que vivemos não é fácil atingirmos este estado de Amor puro de forma permanente...

Para que tal pudesse acontecer, deveríamos também conseguir viver a nossa vida em pleno estado de presença...

 

 

Mas, o simples facto de podermos reconhecer a diferença entre os vários tipos de relacionamentos, já nos dá um conceito de...consciência...

 

Com esse mesmo estado de consciência, conseguimos viver os nossos próprios relacionamentos, verdadeiramente conscientes...do que eles são de verdade...


Assim, sabereis sempre reconhecer aquele que ama verdadeiramente…aquele que ama, na sua forma mais pura...
Aquele que verdadeiramente ama, é aquele que, não pode ser prejudicado…

 

O Amor verdadeiro, só acontece...lá...naquela dimensão, onde o pensamento não existe...onde não se espera nada em troca… 

Em verdadeiros estados de presença...mesmo no clima mais agreste…o Amor acontece…

Fiquem Bem

 

 

 

 

Maria Bethânia - "Cheiro de amor"

 

 


publicado por Agora às 16:33
link do post | comentar | favorito

Felicidade...

 

 

 

Quantos de nós não procurou nos prazeres físicos ou noutro qualquer tipo de satisfação psicológica, a felicidade…

 

Quantos de nós já não o fez, julgando que nos libertaria dos medos, das carências ou mesmo, que nos desse aquela sensação de completa vivência…o sentir-nos vivos…

 

Quantos de nós já não o fez, procurando encontrar a salvação para os seus estados de insatisfação…

 

Quantos de nós já sentiu a angústia no momento em que se dá o encontro com a verdadeira realidade… Como foram curtos esses momentos de “felicidade”… E logo buscamos novos momentos para nos podermos manter em estados ilusórios…

 

Quantos de nós já não imaginaram metas num futuro… Metas essas que seriam as responsáveis transportadoras de…felicidade… “Quando eu tiver aquilo…estarei feliz…” A eterna inconsciência da criação da ilusão…da salvação no amanhã…

Quantos de nós já não descobriu que nada disto nos dá a tão ambicionada felicidade…

 

Na verdade, a verdadeira felicidade só é conseguida…

Quando sentimos a satisfação de vivermos a vida em toda a sua plenitude…

Quando nos conseguimos sentir bem connosco e com tudo o que nos rodeia…

Quando sentimos a tão ambicionada…paz interior…

Quando descobrirmos que não dependemos de factores externos para o conseguirmos…

Quando nos conseguimos libertar dos medos, do sofrimento, da carência, do ciúme, do ódio, e tantos outros…

Quando descobrimos a liberdade atingida, quando nos libertamos dos pensamentos compulsivos…

Quando nos libertamos daquela constante negatividade…

Quando nos conseguimos libertar do condicionalismo do tempo…

Quando nos conseguimos libertar…do passado e do futuro…

Quando descobrimos que não existe outra salvação a não ser termos a coragem de viver exclusivamente…o momento presente…

 

Atingir o estado de felicidade é conseguir libertarmo-nos da nossa mente, olhar para as coisas e reparar na sua simplicidade...

Se não te libertares da mente, só reparas no que ela quiser ver…
Consegues distinguir a realidade…a partir do momento em que conseguires ficar…presente…

É nesse mesmo estado de presença...que sentimos a paz...que nos sentimos felizes...

Como tal, a felicidade não depende de nenhum facto externo...ela depende mesmo de nós mesmos...

 

A felicidade não se procura...ela existe em cada um de nós...

 

Fiquem bem...

 

 

Monge Mingyur Rimpoche ( Os segredos da felicidade)

 


publicado por Agora às 15:02
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sexta-feira, 25 de Julho de 2008

Problemas III

 

 

Quantas vezes não dão conta, das transformações originadas pela momentânea mudança de identidade (o deixar de ser o fruto da mente…).

A única coisa que sentimos é um estranho acréscimo de uma certa alegria…que vem de dentro…uma estranha paz interior…mas que desconhecem a sua origem…
Quantas vezes, neste estado de vivência, sentimos que somos...simplesmente...crianças...


Grande parte da nossa vida é consumida por uma preocupação obsessiva com as coisas....

Quando não somos capazes de sentir a vida em nós, provavelmente vamos tentar enchê-la de coisas…

É nesta altura que eu tento olhar para “dentro” de mim mesmo...e pergunto-me…

 

  • O que me preocupa?
  • Existe algo que me preocupa neste momento?

 
A consciência é o poder que reside dentro do momento presente…

Numa situação aflitiva que não sabemos mesmo o que fazer…tentemos fazer com que a consciência possa tomar conta da situação…

 

Normalmente, tento seguir estes passos…

•Analiso sem medo e de forma honesta toda a situação…prevendo o que de pior te poderá acontecer… Pergunto-me: “Qual a pior coisa que me poderá acontecer?”.

•Depois, tento aceitar todas as consequências… nada nego (tipo “não pode ser!”) … aceito-o!!! Preparo-me para o pior…se for preciso…

•Desse momento em diante… procuro dedicar totalmente o meu tempo… a minha energia… no esforço de remediar as piores possibilidades… já aceites mentalmente… Procuro melhorar a situação… partindo do pior…

Podem pensar que não vos ajudará no vosso problema…

Só vos posso dizer que…nada tendes a perder...em tentar…
Quando aceitamos o pior… não nos resta mais nada para perder…

E isso, automaticamente… significa que…temos tudo a ganhar!!!

“A verdadeira paz, advém da aceitação do que nos pode acontecer de pior”.

(“A Importância de Viver” - Lin Yutang)

Uma coisa todos sabemos… a vida dar-nos-á a experiência mais útil para a evolução da nossa consciência…

Uma data de factores vão acontecendo para que certo e determinadas situações vão acontecendo nas nossas vidas (aquilo que alguns chamam de “coincidências”…).
Como poderemos saber se esta é a experiência que estavamos precisando?

Simples…perguntemos a nós mesmos…

Porque estou lendo isto?

Esta é a experiência que estávamos a precisar...porque a estamos a viver neste preciso momento…
 

Libertem-se das amarras e permitam que a vossa essência vos dê uma mão...


Fiquem bem…

 

Epero que, ao fim destes três momentos, tenham conseguido atenuar a pressão causada pelos vossos problemas...

Se assim for, irão conseguir olhar para este video...através da criança que existe em vós...

Divirtam-se...

 

 


publicado por Agora às 12:44
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quinta-feira, 24 de Julho de 2008

Problemas II

 

 

 

“Feliz o homem, e feliz ele só,
Aquele que pôde chamar ao dia de hoje o seu próprio dia,
Aquele que, seguro de si mesmo, pode dizer:
Amanhã poderá ser péssimo, mas eu já vivi o dia de hoje!”

(Horácio – 30 anos AC)

Todos nós vivemos a sonhar com um deslumbrante jardim florido que se encontra para além do horizonte…mas não conseguimos reparar nas flores que nascem no jardim onde passamos todos os dias…

Incutimos na criança: “Quando fores grande…”; O adolescente sonha: “Como queria ter X anos…”; E, ao chegar a adulto, afirma: “Quando me formar…”; “Quando me casar…”; ”Quando tiver filhos…”; ”Quando os meus filhos se formarem”… etc. Depois a frase muda: “Quando me reformar…”; Quando a reforma chega, ele olha o caminho percorrido. Um vento gélido parece varrer esse caminho e de certo modo tudo ele perdeu - e a vida já se foi!

A vida (aprendemos muito tarde!) está em se viver plenamente cada dia, cada hora, cada minuto, cada segundo… Em suma…viver cada momento!!!

“Não podeis percorrer o mesmo rio duas vezes. O rio muda de segundo em segundo, assim como o homem que o percorreu. A vida é transformação incessante. A única certeza é o dia de hoje”.

(Heraclito 500 anos AC)

Porque estragar a nossa vida presente, procurando resolver os problemas de um futuro - um futuro que se não pode, de modo algum, ser previsto? Como conseguimos viver desta forma? Simples…vivendo cada momento como se fosse o último…
Podemos verificar facilmente que esta não é uma preocupação só dos nossos dias…pois, já os antigos Romanos usavam duas palavras para tentarem resolver este problema – Carpe diem (Goze o dia ou “agarre o dia”). Sim agarre o dia, o mais que poder…

“SAUDAÇÃO A ALVORADA”

“Cuida deste dia!
Ele é a vida, a própria essência da vida.
Em seu breve curso.
Estão todas as verdades e realidades da tua existência:
A bênção do crescimento, A glória da acção o esplendor da realização.
Pois o dia de ontem não é senão um sonho.
E o amanhã somente uma visão.
Mas o dia de hoje bem vivido transforma os dias de ontem num sonho de ventura.
E os dias de amanhã numa visão de esperança.
Cuida bem, pois, do dia de hoje!
Eis a saudação à alvorada.”

(Kalidasa – dramaturgo indiano)

Porque não  nos fazemos estas perguntas…e escrevemos as respostas num papel...

•Costumo esquecer o presente, a fim de me preocupar com o futuro…ou ansiar por algum jardim…mágico…que está além do horizonte?

•Costumo, por vezes… amargurar o presente…com coisas que sucederam no passado?

•Ergo-me pela manhã… resolvendo “agarrar o dia”… tirar o maior rendimento das suas vinte e quatro horas?

•Poderei tirar maior proveito da vida, fazendo de cada dia um compartimento energicamente fechado?

•Quando começarei a proceder assim? Para a semana…amanhã...hoje…Agora?

Pensem nisto…

Fiquem bem…

 

 


publicado por Agora às 12:43
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 23 de Julho de 2008

Problemas I

 

A tentativa de viver o ontem… de viver o amanhã… carregar todo este peso hoje… faz vacilar qualquer um… mesmo os mais fortes...

 

Isolem o futuro tão hermeticamente como o passado...

O futuro é hoje...não "amanhã"...não existe…

Existirá sim...um novo presente... 

 

O melhor meio de nos preparamos para esse "novo momento" é concentrarmos toda a nossa inteligência e entusiasmo no” trabalho” que estivermos a realizar...para que seja o mais belo possível…

 

É esse o único meio de nos preparar para o futuro…

 

 

“... O pão nosso de cada dia nos dai hoje...”

 

(Parte de uma das orações dos Cristãos)

 

Lembrem-se de que a oração só pede o pão de hoje… Não fala do pão de ontem… Nem tão pouco se preocupa com o pão de amanhã…

O pão de hoje é o único que podemos comer…

 

Claro que devemos preparar o dia de amanhã…cuidadosamente… Fazendo uma tarefa de cada vez… Dando passos conscientes…os mesmos passos que nos conduzirão aos caminhos de amanhã…

Mas, nunca tentá-lo viver…hoje!!!

 

“Não andeis pensando no dia de amanhã.”

 

(Cristo)

 

Metade das camas ocupadas nos nossos hospitais, têm doentes atacados de distúrbios nervosos e mentais…doentes que caíram numa das maiores armadilhas da mente e passaram a viver simplesmente os “ontem” e os terríveis “amanhãs”…

Viver nestes dois hipotéticos mundos…completamente opostos, leva as pessoas a terem sensações de inutilidade… fracasso… ansiedade… preocupações… medo… desespero… etc.

 

“O maior erro cometido pelo médico é procurar curar o corpo sem tentar curar o espírito; todavia, a mente e o corpo são unos e não devem ser tratados separadamente.”

 

(Platão)

 

Analisando estas palavras proferidas por volta de 347 a.C., verificamos ter havido um enorme retrocesso da humanidade neste campo…

Reconhecermos a nossa própria insanidade… é, o primeiro passo a dar para alcançar a sanidade mental…o início do processo de cura…

Cada dia constitui uma vida nova para um homem que sabe viver…

 

Tentem dizer todas as manhãs…à imagem que vêm no espelho...

 

“Hoje começo uma vida nova!!!”

 

...e, verão que os milagres existem…

 

Fiquem bem…

 

Divirtam-se...hehehehe


publicado por Agora às 16:09
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Terça-feira, 22 de Julho de 2008

Libertemos a criança que existe dentro de nós...

 

 

Sabem...


A vida é tão simples...


Observem uma criança...

 

Vejam como ela vive na mesma vida que nós vivemos...

 

Reparem como ela sorri...

 

Reparem como ela é feliz...

 

E, vive dessa forma...exactamente na vida que nós vivemos...

 

Seria bom que nos questionassemos do...porquê?


Sim...têm razão...porque não têm problemas...

 

Porque a sociedade ainda não as programou para serem transportadores de problemas...para mais facilmente serem manipuladas...


A verdade, é que a criança vive exactamente a mesma vida que nós vivemos...

 

Como tal, não é a vida que muda...mas sim, a nossa postura perante ela...

 

 

Libertemos então a criança que há em nós...

 

Mas não esqueçamos de lhe esconder…

 

O adulto em que nos tornámos...

 

 

Pensem nisto...
 

Fiquem bem...

 

Zeca Afonso - "Menino do bairro negro"

 


publicado por Agora às 20:10
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Sábado, 12 de Julho de 2008

Mente argilosa...

 

 

Quantas vezes vos “ouço” falar em "percas", "dúvidas", "tempo…ou falta dele…", "dores", "pensares"...

Se repararem bem, são condicionalismos impostos pela nossa mente...

São sementes de discórdia...por ela plantadas...regadas e acondicionadas por nós mesmos...

São "nevoeiros" colocados entre nós e os nossos verdadeiros sentires...

Barreiras que nos controlam...não permitindo que possamos Ser verdadeiramente...

Fossos colocados entre nós e a nossa essência...

Máscaras que ela nos “obriga” a transportar…armadura essa, que depois de usada, dificilmente dela nos conseguimos libertar…

Na verdade, fazemos tudo isto, porque nos é incutido pela nossa mente, quer por registos de vivências de um passado, quer por sonhos possíveis de terem sido vivídos mas que por medos e receios...também por ela controlados...perdemos a coragem de os viver, quer pela sua aceitação do control imposto por muitas das pessoas que nos rodeiam…

Pensamos que, vivendo sob o seu domínio, nos protegerá...nos encontros e nos desencontros com a vida… Na verdade, deveríamos conseguir ser nós mesmos e assim podermos usar a mente...em vez de sermos por ela...usados...

Como nos conseguimos enganar...a nós próprios…
 
Fiquem bem...
 
 
 
Aprendendo a ser feliz
 


publicado por Agora às 21:26
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
Quinta-feira, 10 de Julho de 2008

O chorar da alma...

 

 

Tenho encontrado muitas páginas…que choram…


Existem duas formas de chorar... O chorar da alma...e o chorar motivado pelo o ego...


Apesar de saber (nas várias análises que fui fazendo) que a maioria das vezes que choramos, o fazemos em estados de ego, simplesmente falarei do chorar da alma…agora…


O chorar da alma, é mesmo o maior reflexo de que estamos seguindo o que a nossa mente nos vai "pedindo"…obrigando-nos a fazer o que ela quer da nossa vida...


Primeiramente, esse mesmo chorar, reflecte-se nas lágrimas que nos caem...são o reflexo físico dos avisos da alma...podendo ou não, num momento inicial, ser acompanhado de dores físicas…


Mais tarde vêm o reconhecimento da verdadeira vida que levamos…
Passamos desacreditar no milagre da vida…


Vem a perca dos sonhos…
Passamos a fugir de tudo e de todos...o isolamento…

Nesta altura, quase sem nos apercebermos, começam a surgir, as micro depressões…

Elas vêm quase sempre acompanhadas de dores físicas…os chamados “corpos de dor”…


Quando ignoramos todos estes avisos, estamos também aceitando as verdadeiras depressões…


Estas, podem transformar-se em graves problemas de saúde...

 
Como sempre digo…a escolha é nossa…

 
Fiquem bem...
 
 
Encontrar a pessoa certa - Padre Fabio de Melo
 


publicado por Agora às 19:48
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quarta-feira, 9 de Julho de 2008

O poder da alma...

 

 

Quando alguém comunica, nas mais diversas formas, a energia da qual somos realmente feitos…e que existe no chamado “plano real”…passa também a existir nesses mesmos canais de comunicação… Quando acedes ao que foi dito, escrito ou quando acedes a uma outra forma de comunicar, recebes também a energia de quem a libertou… Essa mesma energia, pode-nos entrar por cada um dos nossos sentidos… E, se estivermos mesmo presentes, conseguiremos decifra-la…através do chamado “sexto sentido”… Saberemos então, com alguma facilidade, “ler” a alma de quem a libertou…
É baseado nesta teoria que normalmente digo…

“Quando alguém tecla a energia de que e feito passa para o plano virtual... Quando acedes ao que foi escrito...recebes a energia no teu ecrã... Se a souberes decifrar, saberás com alguma facilidade ler a sua alma...”

Somos expressão de vida…

Emanamos energia em qualquer coisa que tocamos…

Independentemente da dimensão em que possamos estar…

Em cada momento…


 É desta forma que, existem pessoas que nos conseguem conhecer de forma imediata…simplesmente pela análise da nossa energia… Isto era mesmo algo que normalmente aprendemos a deixar de esperar em relação a muitos dos nossos “ditos” amigos…em anos de vida...
Quantas vezes ouvimos chamar, a essas mesmas pessoas, de “adivinhos”…”anjos da guarda”…”bruxos”…”possuidores de um dom”…e muitos outros nomes… Na verdade, o que essas pessoas fazem é saber filtrar o “eco” que sai de cada um de nós…
Somos muito mais do que o simples “invólucro” onde estamos inseridos…
Este corpo que habitamos…só nos é “emprestado”… A seu tempo, o devolveremos…
Assim sendo, não somos uma descrição física… Somos energia…com a mesma intensidade… Fazemos parte do mesmo Universo…
A diferença que achamos nessa intensidade, nos diferentes seres, tem a ver com a libertação de forma individual, que cada um consegue ter em relação ao seu pensamento…
Como tal, cabe a cada um permitir que essa mesma intensidade se manifeste…dando um novo uso ao pensamento…colocando-lhe metas…metas espirituais…

Fiquem bem…

 

Gloria de la Vega - "Vientos Del Alma"


publicado por Agora às 21:12
link do post | comentar | favorito

.Mais...


. Perfil...

. Adicionar...

. 7 seguidores

.Setembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
21
22

23
29

30


.Momentos mensais...

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

.Momentos...

. Doenças degenerativas - O...

. Doenças degenerativas - O...

. Doenças degenerativas - O...

. Doenças degenerativas - O...

. Doenças degenerativas - O...

. Trocas Energéticas...(VI)

. Trocas Energéticas...(V)

. Trocas Energéticas...(IV)

. Trocas Energéticas...(III...

. Trocas Energéticas...(II)

. Trocas Energéticas...(I)

. Reencontro...

. Quarta etapa...(IV)

. Quarta etapa...(III)

. Quarta etapa...(II)

. Quarta etapa...(I)

. Terceira etapa...(VI)

. Terceira etapa...(V)

. Terceira etapa...(IV)

. Terceira etapa...(III)

. Terceira etapa...(II)

. Terceira etapa...(I)

. Segunda etapa...

. Primeira etapa...

. Preparação da caminhada.....

. Preparação da caminhada.....

. Preparação da caminhada.....

. Preparação da caminhada.....

. Propósito desta caminhada...

. Propósito desta caminhada...

. Propósito desta caminhada...

. Caminhada em busca de mim...

. Caminhada em busca de mim...

. Caminhada em busca de mim...

. Respostas - Livre Escolha...

. Respostas - Livre Escolha...

. Respostas - Livre Escolha...

. Respostas - Livre Escolha...

. Perguntas - Livre escolha...

. Análise – Resumo…(V)

. Análise – Resumo…(IV)

. Análise – Resumo…(III)

. Análise – Resumo…(II)

. Análise – Resumo…(I)

. Análise – Mudança…(V)

. Análise – Mudança…(IV)

. Análise – Mudança…(III)

. Análise – Mudança…(II)

. Análise – Mudança…(I)

. Análise – Indecisões…(II)